By 15 de maio

Segundo o Cepea, vendedores estão mais flexíveis nos valores de negociações, enquanto compradores postergam as aquisições, à espera de desvalorizações mais intensas

Segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), os preços do milho estão em queda diária consecutiva desde o dia 27 de março deste ano, e atualmente estão nos menores patamares nominais desde setembro de 2020.

Do encerramento de março até a última sexta-feira (12/5), a queda do Indicador Esalq/BM&FBovespa (Campinas – SP) é de mais de 30%, que está abaixo dos R$ 60 a saca, o que não era observado desde 22 de setembro de 2020, em termos nominais.

De acordo com pesquisadores do Cepea, o desenvolvimento das lavouras de segunda safra está satisfatório, e estimativas oficiais seguem apontando colheita recorde do cereal em 2022/23.

Nesse cenário, os vendedores estão mais flexíveis nos valores de negociações, enquanto compradores postergam as aquisições, à espera de desvalorizações mais intensas, diz o centro de estudos.

Para esta safra 2022/23, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a segunda safra de milho some 96,13 milhões de toneladas, 12% a mais que a anterior.

 

Fonte: Globo Rural https://globorural.globo.com/agricultura/milho/noticia/2023/05/cotacao-do-milho-segue-em-baixa-e-esta-no-menor-patamar-desde-setembro-de-2020.ghtml