By 12 de abril

O desenvolvimento satisfatório das lavouras de milho vem apresentando uma forte pressão de queda nas cotações brasileiras.

Como se comportou o mercado da soja na ultima semana.

A semana que passou ficou marcada pela redução da oferta de petróleo, início da colheita de soja na Argentina e retorno do “dólar soja”. Também houve redução no tempo de espera nas filas dos portos. Diante disso, o contrato com vencimento em maio/23 finalizou a semana sendo cotado a U$ 14,92 o bushel (-0,86%) e o contrato com vencimento em julho/23 encerrou a U$ 14,62 o bushel (-0,88%).

No domingo passado, em 2 de abril de 2023, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP+) surpreendeu o mercado ao anunciar um corte de 1,5 milhão de barris por dia, a partir de maio. De acordo com Ruan Sene, analista de mercado da Grão Direto, isso resultou em um aumento significativo nos preços do petróleo, que saltou de US$ 75,00 para US$ 85,00 por barril. Ocasionando uma alta expressiva nos preços da soja em Chicago, devido à correlação entre o diesel e o biodiesel.

A Bolsa de Rosário emitiu uma nota informando sobre as condições das lavouras argentinas, que se mostraram extremamente ruins. Em áreas onde se esperava uma colheita de cerca de 28 sacas por hectare, estão sendo colhidas apenas 9 sacas. Além disso, a qualidade da soja também está muito baixa, com lotes de cargas registrando avarias que variam de 60% a 100%. Apesar do retorno do “dólar soja” para estimular as vendas, a soja avariada não tem compradores. Os produtores podem ter que misturar a soja regular com a avariada para ter menos desconto e, assim, vender seus grãos.

No Brasil, as operações portuárias têm sido favorecidas pelas condições climáticas, resultando em um menor tempo de espera dos navios nos portos e redução das filas de espera. Isso tem levado a uma diminuição da demurrage, a multa cobrada por dia de espera dos navios no porto, contribuindo para a diminuição dos custos das operações portuárias.

Já em relação ao dólar, durante a semana que passou, saíram dois dados importantes que influenciam na economia dos EUA, resultando em um decréscimo de 0,20% na moeda, fechando a sexta-feira valendo R$5,06. O Payroll, que é o indicador de criação de novos empregos não agrícolas no país, veio abaixo da expectativa de mercado, mostrando uma desaceleração no ritmo da economia. A taxa de desemprego também veio abaixo do esperado, sendo esperado a 3,6%, enquanto se mostrou nos patamares de 3,5%. Diante deste cenário, as cotações da soja brasileira fecharam a semana com desvalorização, em relação à semana anterior.

 

Fonte: COMPRE RURAL https://www.comprerural.com/o-que-esperar-do-mercado-de-soja-e-milho-nessa-semana/