By 25 de outubro

A confirmação de uma quebra expressiva da safra paranaense segue resultando em recuperação das cotações no mercado doméstico de trigo.

No Paraná as indicações de compra ficam por volta de R$ 1.850/tonelada para trigo tipo 01, acumulando alta de 4,3% em relação à semana anterior, de 9,7% frente ao mesmo momento do mês passado e de 15,6% em relação ao mesmo período de 2021.

Segundo o analista de Safras & Mercado, Élcio Bento, as ofertas desse tipo de grão são escassas e como a demanda está aquecida, os produtores elevaram suas pedidas para R$ 2.000/tonelada.

Pesquisa usa fragmento de DNA de planta selvagem contra doença que ataca o trigo
IGC mantém projeção da safra global de grãos em 2,256 bilhões de toneladas

Foi reportado, ainda que como especulação, a venda de feed wheat a R$ 1.650/tonelada no porto de Imbituba/SC.

A indicação de trigo branqueador a R$ 1.850/tonelada FOB Rio Grande do Sul, que chegaria aos moinhos do Paraná por volta de R$ 2.000/tonelada, sugere que com a colheita gaúcha avançando, a opção de compra neste estado deve estabelecer um ponto de resistência para os preços paranaenses.

No Rio Grande do Sul, os compradores seguem indicando interesse entre R$ 1.720 e R$ 1.750 a tonelada. No CIF as ofertas de preços chegam até R$ 1.800/tonelada. Na exportação os últimos reportes são a R$ 1.820/tonelada para janeiro e a R$ 1.835/tonelada para fevereiro.

Além disso, as vendas para o Paraná ainda seguem restritas, em grande parte devido ao ICMS. A pedida dos produtores seguem entre R$ 1.800 e R$ 1.850 a tonelada.

 

Trigo: Chicago
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços predominantemente mais baixos.

 

O mercado passou boa parte do dia no território negativo. A pressão baixista veio das previsões de clima favorável nos Estados Unidos e na Argentina, que vêm sendo castigadas por estiagens prolongadas.

As exportações de trigo pelo Mar Negro também atuaram como fator baixista. Apesar disso, os contratos com entrega a partir de março de 2024, portanto, bastante distantes, encontraram suporte em fatores técnicos em meio às incertezas sobre a renovação do acordo do corredor de grãos.

Conforme agências internacionais, os fundos investidores estão cautelosos devido ao vaivém dos principais indicadores da economia global.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução do plantio das lavouras de trigo de inverno.

Até 23 de outubro, a semeadura estava apontada em 79%. O mercado esperava 81%. Na semana passada, eram 69%. Em igual período do ano passado, o número estava em 79% e a média dos últimos cinco anos é de 78%.

No fechamento, os contratos com entrega em dezembro de 2022 eram cotados a US$ 8,34 3/4 por bushel, baixa de 4,00 centavos de dólar, ou 0,47%, em relação ao fechamento anterior.Por fim, os contratos com entrega em março de 2023 eram negociados a US$ 8,54 1/4 por bushel, retração de 4,00 centavos, ou 0,46%, em relação ao fechamento anterior.

 

FONTE: CANAL RURAL